Publicado em

Sabores e potências da serralha

Já faz um tempo que a Rede Pela Horta disponibiliza para vocês em nosso mercadinho virtual e nas feiras uma planta alimentícia não convencional (PANC), talvez não tão conhecida, por isso viemos  contar um pouco mais sobre suas maravilhas: a serralha. Também conhecida por cerraia, chicória-brava, serralha lisa, serralheira e ciumo, essa planta medicinal considerada por alguns como erva daninha, pois suas sementes são carregadas pelo vento e crescem rapidamente em qualquer tipo de solo favorável.

Serralha (Sonchus oleraceus). Foto: Laira Carnelós.
Serralha (Sonchus oleraceus). Foto: Laira Carnelós.

De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), a serralha é composta por nutrientes como carboidratos, proteínas, fibras, cálcio, fósforo, manganês, magnésio, ferro potássio, cobre, zinco, sódio, vitamina B2, vitamina B6 e vitamina C. Segundo o Centro de Produções Técnicas (CPT), ela também é uma rica fonte de vitamina A, vitamina D e vitamina E. Eita, que “daninha” do poder!

Benefícios para saúde 

A serralha é conhecida por desintoxicar o fígado, combater a dor de estômago e por possuir ação desintoxicante, antimicrobiana, antidepressiva, antimalárica e de purificação do sangue. No entanto, a planta pode apenas dar uma força e pessoas que sofrem com algum dos problemas sinalizados abaixo devem consultar um médico que irá prescrever o tratamento completo e eficaz para sanar a complicação.

  • Auxílio ao tratamento de pessoas com peso abaixo do normal: A planta pode ser útil para pessoas que sofrem com baixo peso e possuem dificuldades para engordar. Isso porque um de seus efeitos é o aumento de apetite.
  • Colabora com o tratamento do vitiligo: a planta é dotada de um aminoácido chamado fenilalanina, que contribui com o funcionamento das células dos pigmentos.
  • Problemas digestivos: O chá de serralha é utilizado para tratar problemas digestivos, já que possui uma ação estimulante em relação à digestão. A planta atua no aumento da produção da bile, fluido responsável pela digestão de gorduras e absorção de nutrientes provenientes dos alimentos quando estes passam pelo intestino. A indicação é consumir a bebida antes das refeições para combater a má digestão dos alimentos.
  • Possui propriedades anti-inflamatórias: Suas folhas são aplicadas em forma de um cataplasma para tratar inchaços no corpo, associados a problemas inflamatórios. O cataplasma feito com a serralha também é indicado para o alívio de dores reumáticas.
  • Dotada de propriedades tônicas: A serralha estimula a resposta imunológica do organismo, o que é importante para a prevenção e o tratamento de doenças. As plantas com propriedades tônicas, como é o caso da serralha, diminuem a fraqueza e a sensação de cansaço, estimulam a produção de células e recuperam tecidos que sofreram danos.
  • É antioxidante: A planta possui propriedades que combatem os radicais livres que promovem o envelhecimento precoce e são causadores de graves problemas de saúde como câncer, doença no coração e artrite.
  • Tem propriedades sedativas: A serralha age como um sedativo natural, trazendo um efeito calmante e de relaxamento que pode ser útil para pessoas que sofrem com ansiedade e têm dificuldade para dormir. Tomar um chá de serralha pode colaborar para ter uma noite de sono de maior qualidade e descansar melhor.
Flor da serralha (Sonchus oleraceus). Foto: Laira Carnelós.
Flor da serralha (Sonchus oleraceus). Foto: Laira Carnelós.

Culinária

As folhas são empregadas  no preparo de remédios caseiros e podem ser consumidas, tanto cruas na forma de saladas como cozidas e preparadas de várias formas, tendo o sabor similar ao espinafre. Consome-se toda a parte aérea de plantas jovens (folhas, talos tenros e até flores – capítulos – bem jovens). As flores e botões podem ser feitos à milanesa e à dorê. A serralha também pode ser refogada, usada para bolinho, cozida com massa ou angu, suflê, omeletes e sucos verdes.

Receitas

  • Salada de serralha com folhas inteiras: Selecione e lave as folhas jovens e disponha numa saladeira. Esquente azeite com sal, alho e temperos opcionais. Jogue azeite temperado sobre as folhas e sirva imediatamente. O azeite quente dá uma murchada instantânea nas folhas e minimiza seu sabor levemente amargo.
  • Serralha refogada com polenta: Lave as folhas jovens individualmente e corte-as bem fininho. Prepare a polenta de forma tradicional, diluindo o fubá antes na água fria para não empelotar. Doure no azeite, alho, cebola, sal e outros temperos a gosto. Quando a polenta tiver engrossada, acrescente as folhas e manteiga a gosto e os temperos refogados, misturando-os completamente. Sirva quente.
  • Serralha cozida no arroz: Selecione folhas e talos tenros (brotos). Lave-as e corte fininho, similar a couve. Cozinhe o arroz de forma usual. Quando estiver começando a secar a água acrescente as folhas (talos) picadas. Misture e deixe terminar de cozinhar e secar em fogo baixo. Sirva quente.

Referências: Livro – Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil. Autores – Valdely Ferreira Kinupp e Harri Lorenzi. Site – Mundo Boa Forma.